Metroquadrado

Para uma melhor experiência de navegação, redimensione o seu navegador ou acesse este site em um computador.

Metroquadrado

Costumamos ouvir de nossos clientes “mas vocês não são exatamente um escritório de arquitetura, certo?”. Para nós este é um dos melhores elogios que podemos receber. Afinal, somos um escritório de arquitetura em essência, mas os caminhos que nos levam a ela percorrem antes a inspiração na arte, os processos do design e o interesse em tecnologia. E neste percurso o cliente é central, tornando-se co-autor do processo e importante aliado.

Vivemos num tempo em que a arquitetura deve atingir um significado mais profundo e abstrato, onde as edificações estão cada vez mais permeáveis e seus programas mais flexíveis e interativos, restabelecendo no centro do projeto um elemento óbvio, mas muitas vezes esquecido: as pessoas.

Aqui na Metroquadrado somos apaixonados por tudo o que fazemos: das vitrines aos empreendimentos de grande porte. Carregamos em nosso DNA a paixão pelo desenho como ferramenta e o diálogo entre arquitetura, arte, design e tecnologia. Acreditamos em processos criativos cada vez mais abertos e interligados, mesclando disciplinas com características conceituais e estruturas de trabalho semelhantes.

Propomos trabalhos que possibilitem criar dimensões mais dinâmicas da experiência humana no espaço, buscando qualidades sensoriais e simbólicas que relacionam e projetam significados. Abordamos o design de forma estratégica, agregando valor à ideia do cliente e transformando-a em novas oportunidades e momentos marcantes.

Somos um espaço de experimentação com liberdade criativa. Queremos compartilhar conhecimento e envolver pessoas. Trabalhar identidades, melhorar e ampliar nossas experiências vividas e trazer para nossas vidas contribuições intensas que modifiquem percepções e dêem sentido e propósito a tudo que fazemos.

Talvez nossos clientes estejam certos. Também não temos resposta para aquela pergunta. Apenas acreditamos no trabalho como uma sequência de ações por meio de processos abertos e não rotulados. Como os vazios metafóricos da arquitetura, que oportunizam espaço para novos questionamentos e para que o inesperado aconteça.

Seja muito bem-vindo!